PROMOVER E DEFENDER O DIREITO DOS ANIMAIS

enviado por 87 em 10/10/2020 09:19

PROMOVER E DEFENDER O DIREITO DOS ANIMAIS

 

Com muita satisfação que trazemos aos ouvintes da Rádio Comunitária “A Voz do Povo de Quilombo”, um bate papo superbacana com (Karina Favaretto Molinett representante do Grupo Patas Voluntárias de Quilombo.

Tiago - O que é o Patas Voluntárias de Quilombo? Quando surgiu? Como surgiu a ideia deste trabalho? O trabalho é voltado só para cães ou demais animais? (Apresentar um breve histórico da instituição).

Karina - O grupo é uma reunião de cidadãos que se importam com os animais, e gostariam de ajuda-los no que estiver ao alcance. O Grupo surgiu efetivamente em um grupo de whats app em janeiro deste ano, mas isso não quer dizer que as pessoas só começaram a se importar com os animais agora, foi apenas uma forma de conseguirmos nos reunir para discutir e centralizar as informações. O trabalho inicial é voltado para cães e gatos pois é o que mais nos rodeia, e conseguimos assessorar. Basicamente animais domésticos. Mas claro que se surgir um caso de abandono ou maus tratos de outros animais, não vamos deixar de tentar ajudar.

Nós somos um grupo de apoio. Não temos lar temporários, não temos espaço para os animais ficarem. Mas ajudamos quem nos procura, a tentar encontrar bons lares. Tentar encontrar animais perdidos. Assessorar quem não sabe o que fazer com um animal que recolheu da rua ou que foi abandonado.

Tiago - O abandono ou maus tratos de animais são frequentes na cidade de Quilombo?

Karina - Não sei te dizer a frequência dos abandonos pois não temos esta estatística, mas quando começamos a olhar para algo, independente do que seja, isso se evidencia mais. Por exemplo, você gosta de um carro X, nunca tinha reparado se existem muitos deste, a partir do momento que começa a prestar atenção nas ruas, vai começar a enxerga-lo com mais frequência. Resumindo, temos abandonos sim, frequentes, não todos os dias, mas também não somos vigilantes que ficam procurando o tempo todo. Eles simplesmente aparecem.

Tiago - O abandono de animais é uma questão de educação ou está relacionada a questões financeira? O que leva uma família abandonar um animal?

Karina - Boa pergunta! Não existe uma resposta correta para isso. Pode ser por cultura, educação, financeira, desapego, etc. Mas te falando das causas mais comuns, que não é só da nossa cidade, mas estatísticas das ONGs, são:

- falta de conhecimento que um animal vive por muitos anos, e é responsabilidade do tutor cuidado, tanto na infância quanto na fase adulta e velhice.

- o animal precisa de cuidados. Precisa de agua limpa, comida fresca, espaço para lazer, proteção da chuva e sol, espaço para as necessidades, não pode ficar acorrentado uma vida toda.

- como um ser humano, os animais podem ficar doentes, e eventualmente vão precisar de um médico veterinário, de vacinas, etc. Mas não existe SUS para animais. O veterinário da prefeitura não cuida de animais domésticos, é necessário ir em uma clínica. E isso tem um custo.

- não existe a opção de não gosto mais do meu animalzinho e não o quero mais e por isso vou abandonado, isso é considerado maus tratos e dá cadeia sim!

Tiago - Quais serviços são oferecidos?

Karina - Antes disso é importante ficar claro que não somos uma ONG. Somos um grupo de apoio. E também esclarecer que não é dever das ONGs recolher animais, pelo contrário, são organizações que se pré dispõem a ajudar. Mas não pode chegar em uma ONG e largar seu animal, ou querer que tenha consulta gratuita, por exemplo. Isso acontece muito. Nosso grupo não tem lar temporário, não tem verba pública, não sai pela cidade resgatando todos os animais que aparecem. Mas damos um suporte para quem quer tem um animal de estimação, orientação para quem encontra animais e não sabe o que fazer. Indicação de veterinários e ajuda na doação de animais.

E complementando, lá vão algumas dicas para quem não sabe:

- é proibido vender animais! MESMO! Tem muitas pessoas que vendem aqui em Quilombo, sabemos disso, mas não é permitido. Não se pode querer se sustentar vendendo animais. É crime!!! Só podem vender animais quem tem registro, e aqui em Quilombo, não temos nenhum.

- controle de natalidade, é importantíssimo! Confia no que te dizemos! Quando o seu animalzinho tem bbs, você é responsável por todos eles, mesmo que doe. Temos milhões de animais no mundo, você não precisa ter mais, apenas adotar um que já existe.

- o que são os maus tratos? Praticar ato de abuso, ferir ou mutilar animais. Manter em locais anti higiênicos, com pouca movimentação ou falta de descanso, longos períodos de tempo expostos ao sol/calor ou frio/chuva, não prestar assistência indo ao veterinário em acidentes ou doenças, não garantir alimento e água ou abandonar o animal. Mantê-lo em correntes por toda a vida, sem passeios. Não respeitar o porte e energia que o animal possui.

Tiago - O direito dos animais é um dever do estado? Existe alguma lei municipal que aborda a questão dos direitos e deveres dos cidadãos com relação aos animais?

Karina - nossa cidade não tem leis municipais para animais domésticos, não existe. Mas não quer dizer que não possa existir. Até se alguém quiser começar esse projeto, será muito bem vindo. Mas outras cidades tem. E qualquer cidade pode ter. Enquanto isso nos apoiamos nas leis estaduais e federais.

Uma delas é a 13.426-17 – controle de natalidade. Que vamos falar daqui a pouco.

E a lei 14.064/2020 – Lei Sansão! Que foi agora a pouco melhorada, digamos assim. A legislação especificava detenção de três meses a um ano e agora quem for condenado por esse crime poderá ser penalizado com pena de dois até cinco anos de prisão, além disso será multado e terá proibição para abrigar animais de estimação

 Essa legislação foi apelidada de lei Sansão, em homenagem ao cão pitbull que teve as patas traseiras decepadas.

Mesmo que não tenhamos lei municipal, não quer dizer que seja permitido os maus tratos. Fazer o BO é importantíssimo! Fazer vídeos, fotos, evidenciar. Se for algo que esteja acontecendo no momento, ligar para o 190 como emergência!!

Tiago - Sobre a castração de animais, existe algum convenio ou parceria na oferta deste serviço?

Karina - Ótimo ter tocado nesse assunto! Várias informações. Nosso grupo não tem parceria nem convênio com ninguém, mas sempre que tem mutirão de castração em Chapecó, fazemos um caixa para castrar o máximo de cães abandonados, rejeitados, ou com baixa renda, que podemos ajudar. Disponibilizamos nossos carros e tempo para levar esses animais para Chapecó no mutirão. Para ter noção, 1 gato custa em torno de 180,00. E 1 cachorro até 15kg 200,00 reais.

O que nós queremos fazer,é trazer o mutirão para Quilombo. Esse projeto de castração é de São José, Palhoça, Floripa, nessa região, e eles andam pelo estado todo fazendo esse mutirões. Então para os ouvintes que estão nos ouvindo que possuem a Bolsa Família, e que tem cães ou gatos e gostariam de castrá-los, por favor, entrem em contato com a gente. Vamos fazer um levantamento de quantas pessoas têm interesse em castrar seus animais, para então podem trazer o mutirão para cá. Precisamos de no mínimo 120 inscrições para eles virem. E o legal disso é que existe a lei 13.426/2017 que fala sobre o controle de natalidade, e a partir disso, podemos convidar o órgão público para executar essa lei nas castrações das família que não tem condições.

Para os interessados, tem que ir ao pátio da antiga elétrica Molinett, na Avenida Coronel Bertaso, 346, e fazer o cadastro. Tem uma rampa com um corrimão branco, ali tem um escritório.

E também para as famílias que tem condições, pagar um valor mais acessível, e não precisar se deslocar da cidade, ou depender de alguém.

Aí as pessoas perguntam: tá, mas pra que castrar?

Porque principalmente, existem muuuuitos animais no mundo. Para termos uma noção, dados apontam que existem mais animais de estimação do que crianças nos lares brasileiros. E segundo o IBGE existem, no Brasil, 29 milhões de domicílios com cães e 11 milhões, com gatos.

Então principalmente para diminuir a natalidade dos animais. Para as fêmeas, evitar câncer de mama e doenças de útero, pode prolongar a vida em até 5 anos do animal. Para os machos, evitar câncer de próstata e testículo, diminuir demarcação de território. E assim não precisa dar as vacinas anti cio que são prejudiciais, que na primeira

Tiago - Quem pode fazer parte deste grupo?

Karina - Qualquer pessoa que queira ajudar e não só observar. Pode se envolver ajudando a denunciar maus tratos. Isso se faz pelo 181, que no momento não está funcionando, ou pelo site da delegacia virtual de maus tratos de SC. Fazendo doações mensais, ou quando puder ou quiser. Atualmente cada pessoa do Grupo colabora com 5,00 por mês. Apadrinhar algum animal que estamos cuidando, ajudando com lar temporário, por exemplo que não é fácil, pois nunca se sabe o tempo que o animal ficará neste lar. Avisar quando ter animais perdidos, ou aparentemente abandonados. Pra postarmos nas redes sociais. E também se puder ajudar esse animal na rua,dando comida, agua e espaço com sombra em dias de calor ou abrigo em dias de frio, já é muito. Até porque é dever do cidadão cuidar do meio ambiente e dos animais, então seria uma forma de agradecer o mundo que vivemos, com bondade.

Tiago - Qual é o procedimento para a adoção de um animal?

Karina - O nosso processo de adoção é muito legal. Todos os animais que estão disponíveis para adoção, estão nas nossas redes sociais. Facebook e instagram. Quando alguém se interessa, entra em contato com a gente. Então fazemos uma entrevista com o interessado, pra saber se a pessoa entende que um cachorro vira lata por exemplo, pode durar até 26 anos. Que vai precisar de cuidados, sempre! Que tem um custo, entre outras coisas. Especialmente, se essa pessoa tem histórico de maus tratos, se já teve outros animais e não cuidou direito, isso nós pesquisamos mesmo! Também é essencial que a pessoa se comprometa com a castração. Item fundamental até os 6 meses. Caso contrário nós recolhemos o animal deste novo tutor. E para que possamos ter esse compromisso, fazemos um contrato de adoção de animais domésticos com todas essas informações contidas.

Tiago - Alguma história marcante neste período de atuação?

Karina - Olha, não lembro de nenhuma específica. Mas se procurar nas redes sociais, vai ver o nosso cão comunitário, o Juca, que ele é candidato a vereador e para Quilombo foi eleito para a nota de 200,00.

Tiago - Como as pessoas podem ajudar neste projeto?

Karina - Qualquer ajuda é bem vinda! Às vezes nem sabemos como podemos ser ajudados, então se alguém tem alguma ideia pode nos avisar. Mas uma coisa temos certeza, DE-NÚN-CIA!. Denuncia de maus tratos é o começo. Existe o 182, 181, 190 caso esses ã funcionem e os BO virtuais. Viu alguém abandonando um animal na rua? Anota a placa! Veja se conhece a pessoa. Faz o BO. Avisa a polícia da nossa cidade. Ajuda as autoridades a resolverm. Não só ficar esperando a parte deles, mas fazer a nossa também.

Tiago - Neste período de pandemia e isolamento social como estão sendo organizados os trabalhos?

Karina - Não temos muitos problemas quanto a isso, pois trabalhamos bastante online, se precisar sair, seguimos as normas. Hoje a tarde entre às 15 e 18h estaremos fazendo um feirinha com entrega dos cachorros quentes de costela que vendemos antecipado, para só retirar no local, para evitar aglomeração. Convidamos 2 veterinárias da cidade, para tirar dúvidas das pessoas sobre seus pets. Convidamos os petshop da cidade para divulgar seu trabalho. Teremos também um brechó com itens para venda como vestuário, acessórios, enfeite de cuia, etc, destinado 100% para castração dos animais. Assim como todo o valor arrecadado dos cachorros quentes serão para essa causa.

Lembrando que tem o mutirão de castração na semana que vem, fica aqui novamente o telefone, para quem tiver interesse. Nas nossas redes sociais também tem as informações necessárias.

Quem quiser agendar pode ligar ou mandar whats o número 49 984194263.

 

RC 87,9 A Voz do Povo!

Comentários:

Deixe seu comentário:

Publicidades

© Desenvolvimento: www.windesigner.com.br